Marcha Contra o genocídio do povo Negro

Publicado: 19 de agosto de 2014 em Uncategorized

Marcha Levante RJ

  Vivemos em um Estado em que negros e negras são vítimas diárias não só do preconceito estruturante de nossa sociedade de classes, como das injustiças sociais e mazelas herdadas dos tempos de escravidão no Brasil e no mundo. 

  O Estado tem assassinado e vitimizado todos os dias negros e negras de todo o Brasil. No RJ essa situação tem se agravado com as UPP’s e o Projeto Econômico de cidade e Estado, onde tem gerado um verdadeiro Apartheid social. 

  No dia 22/08 acontecerá a grande Marcha (Inter)nacional Contra o Genocídio do Povo Negro. O Levante Popular da Juventude RJ, convoca toda juventude carioca e fluminense a estar presente nesta grande luta por uma sociedade justa e igualitária, sem racismo e preconceitos de quaisquer espécies. 

  A Marcha no RJ, se iniciará às 15H, saindo da Estação de trem de Manguinhos em direção ao complexo do Alemão.

  Contamos com sua presença em mais essa importante luta pela sociedade que queremos.

 “Todo Camburão tem um pouco de Navio Negreiro”!

O Levante Popular da Juventude vem a público manifestar seu apoio e solidariedade à greve dos profissionais de educação do município do Rio e do Estado, que deflagraram greve unificada (estado e município do Rio).

Depois da corajosa greve da Educação do ano passado (2013), onde após 20 anos os profissionais de Educação do município voltaram a fazer greve, se juntando aos professores do Estado e sacudindo o Rio com manifestações, lutas e muita coragem, obrigando assim, os governantes a negociarem, as promessas não foram cumpridas e a greve novamente deflagrada.

O Levante Popular da Juventude entende que as reivindicações apresentadas pelos educadores grevistas como fim da terceirização das escolas e creches públicas, mais investimento para educação, implementação da Lei de 1/3 de planejamento extraclasse (obrigatória pela Lei 11.738, desde 2008), concurso público para professores e funcionários, o fim da meritocracia e pela autonomia pedagógica, redução da jornada de trabalho de 40 para 30 horas semanais de funcionários administrativos, aumento salarial de 20% de reajuste linear e 15% de reajuste salarial entre os níveis, plano de carreira unificado, ‘contra o repasse de verbas para empresas, bancos, organizações sociais e fundações,’ eleições diretas para diretores de escolas, equiparação salarial entre PEI, PI e PII, reconhecimento do cargo de cozinheira (a) nas escolas e convocação dos concursados de 40 horas.

O Levante Popular da Juventude está junto com os educadores em mais essa luta contra projeto neoliberal que tem levado a falência da escola pública brasileira e na greve se juntará aos professores, funcionários e toda sociedade em defesa da escola pública.

Juventude que ousa lutar: Constrói o poder popular!

Pátria livre, venceremos!

Nós, do movimento Levante Popular da Juventude vimos através desta nota declarar nosso apoio à greve dos trabalhadores rodoviários do Rio de Janeiro!

Os rodoviários permitem que todos os dias milhares de trabalhadores possam chegar ao seu local de trabalho e retornar às suas casas após um longo dia de luta. Ao mesmo tempo é uma das categorias que tem mais direitos trabalhistas violados, sofrendo diariamente abusos por parte das empresas de ônibus, além de receberem salários que não condizem com as exigências do trabalho que exercem.

É uma das categorias que mais sofre com casos de doenças decorrentes do trabalho, principalmente aquelas ligadas ao stress e assédio moral no local de serviço, além de problemas como ‘lesão por esforço repetitivo’ e de coluna. Muitos não têm permissão para usar o banheiro ao longo do trajeto, somente nos pontos de parada, e em geral, têm pouquíssimo tempo para fazer suas necessidades fisiológicas. Além de tudo isso, ainda têm de aguentar jornadas de trabalho abusivas de 10, 12 horas de trabalho direto ou mais, sem intervalo para refeição e descanso, o que é garantido pelos direitos trabalhistas.

Como se não bastasse, as empresas ainda exigem que os motoristas acumulem a função de trocador, de forma totalmente abusiva e em desrespeito a sua vida e integridades física e mental e a de todos os passageiros dos quais os motoristas são responsáveis durante o percurso.

Nossos companheiros demonstram que cabe a eles decidir quando, onde e como reivindicar seus direitos. É a vontade da maioria dos trabalhadores e trabalhadoras que deve prevalecer e não a do sindicato não representativo, da lei ou a das empresas que pensarão sempre em como conseguir mais lucro as suas e às nossas custas.

Diante de tudo isso, é legítima e necessária sua luta por melhores salários e condições de trabalho!

Viva as lutas dos trabalhadores e das trabalhadoras e que avance a organização popular!

O Levante está junto de vocês!

A BANDEIRA VERMELHA NO MUNDO TRIUNFARÁ, E O FRUTO DO TRABALHO DO TRABALHADOR SERÁ!

PÁTRIA LIVRE! VENCEREMOS!

Levante Popular da Juventude – RJ

Imagem

No dia 03 de maio o Levante Popular da Juventude esteve no Calçadão de Campo Grande, Rio de Janeiro – RJ, exaltando o dia do Trabalhador e da Trabalhadora.

Com intervenções artísticas e culturais, de fundo político, o Levante conversou com os trabalhadores e trabalhadoras que circulavam pelo Calçadão, sobre as contradições que a classe trabalhadora sofre todos os dias, vítimas dos abusos cotidianos que os patrões e da elite brasileira e internacional.

Essa exploração se acentua ainda mais para a juventude brasileira que sofre ainda mais com a debilidade de acesso ao emprego formal, sobrando a esta trabalhos mal remunerados e altamente exploradores, em que a juventude é obrigada a se submeter.

Hoje a juventude brasileira é vista apenas como mão de obra do mercado de trabalho, que domina os trabalhadores e trabalhadoras explorando sua força de trabalho sem se preocupar com as condições de vida desses trabalhadores e trabalhadoras.

Em se tratando de juventude, é interessante perceber que a maior taxa de desemprego é entre a juventude até 24 anos. Dentre essa taxa, a juventude negra possui um número mais elevado de desemprego que a branca e que para as mulheres negras essa dificuldade de se empregar em bons serviços é mais alta ainda.

Ao jovem trabalhador e trabalhadora da cidade, hoje, sobram os serviços nas áreas de comércio e telemarketing, principalmente. Ou em trabalhos braçais, muitos, informais. Para a juventude trabalhadora do campo a realidade também não é animadora, visto que os meios de trabalho apresentados para a maioria destes são ou na agroindústria ou tendo a produção de alimentos, fruto de seus trabalhos, vendida a “preço de banana” para atravessadores, que vendem esses produtos para redes de supermercados e hortifrútis a preços muito maiores que os comprados.

A saúde do trabalhador e da trabalhadora está cada vez mais fragilizada, por conta desta exploração de seu trabalho, seja diretamente pelas complicações causadas pelo trabalho precarizado que a classe trabalhadora se apresenta, seja pela relação do trabalho com o transporte público, cada vez mais precário para o trabalhador e trabalhadora basileir@s.

Por todas essas contradições e absurdos cometidos contra a classe trabalhadora que o Levante se coloca em movimento, nas ruas, pautando o projeto popular para o Brasil, até que nenhum homem ou mulher seja explorado pela burguesia, nacional ou estrangeira. Até que a Bandeira vermelha, no mundo  possa triunfar e o fruto do trabalho ser de quem trabalhar.

Durante todo o ato o Levante conversou com os trabalhadores e trabalhadoras que uma das causas de toda esta exploração são a falta de políticas públicas de acesso a empregos dignos e sem exploração. Assim o Levante entende que a Reforma Política do congresso se faz necessária e que o Plebiscito Popular por uma constituinte soberana e exclusiva se apresenta como ótima articulação da classe trabalhadora para a mudança real e concreta que queremos ver na sociedade brasileira. Por isso convidamos todo o povo brasileiro a participar dessa luta.

“Juventude que ousa lutar: constrói o poder popular.”

Imagem

 O Levante Popular da Juventude – RJ, em comemoração ao dia do Trabalhador e Trabalhadora brasileir@s, realizou  no último dia 03 de maio, o I Encontro Estadual do Levante RJ sobre juventude trabalhadora.

  Na ocasião, diversos

jovens representantes das células do Levante, espalhadas  pelo estado, se reuniram em Campo Grande, Rio de Janeiro, para debater como o mundo do trabalho tem se  apresentado  para a juventude brasileira.

No debate o exercício de se enxergar enquanto  trabalhador e trabalhadora  sensibilizou a juventude. Durante o debate foram apresentados dados alarmantes sobre como o mundo do trabalho se apresenta para a juventude  brasileira  e de como muito pouco se pensa  nisto. Seja pelo  governo e suas políticas governamentais, seja pelos sindicatos que de uma maneira geral não têm esse debate como prioridade em suas discussões. Dessa maneira,  algumas bandeiras como a erradicação do trabalho infantil, cumprimento da Lei de Estágio, Políticas de Geração do Primeiro Emprego, tudo precisa ser pauta da juventude!

E assim segue o Levante, ousando lutar, formando e organizando a juventude do projeto popular!

Imagem

1470401_10202478383819996_856593462_n

 

Ouçam, direto do Largo da Carioca no Centro do Rio de Janeiro, tudo que acontece na IV Feira Estadual da Reforma Agrária Cícero Guedes ! Debates, apresentaçoes culturais e a nossa rádio aberta!

http://www.ustream.tv/channel/radio-levante-na-feira-da-reforma-agraria