Arquivo de novembro, 2012

Entre os dias 15 e 18 de novembro realizamos o nosso I Acampamento Estadual do Levante Popular da Juventude do Rio de Janeiro.
Nesses dias pudemos nos encontrar, trocar ideias e plantar as sementes para a construção do Projeto Popular em nosso estado.
Ao final do acampamento produzimos uma Carta Compromisso que reafrma todas as nossas tarefas e objetivos no nosso estado e no nosso país:

Carta compromisso do Levante Popular da Juventude RJ

“Apanhei do meu pai, apanhei da vida,
apanhei da polícia, apanhei da mídia.
Quem bate se acha certo, quem apanha tá errado.
Mas nem sempre meu senhor, as coisas vão por esse lado.”
Mc Leonardo

Nós, jovens presentes no I Acampamento Estadual do Levante Popular da Juventude do RJ, viemos do campo e da cidade, das periferias e universidades. Somos negros, mulheres e homossexuais. Estudantes, camponeses e trabalhadores desempregados. Mesmo com as aparentes diferenças, acreditamos que o que nos aproxima é muito maior do que o que nos diferencia: o desejo de lutar e transformar radicalmente as estruturas da sociedade que oprime a todos nós.
Lutamos para sobreviver diariamente em um mundo dominado pelo sistema capitalista-patriarcal-racista, que nos aprisiona e escraviza não só no aspecto econômico, mas em todos os campos da nossa vida. O machismo determina a mulher como propriedade. O racismo é cruel e extermina a nossa juventude preta e pobre, mesmo que a gente viva em um país onde a maioria da população é composta por negros. Também somos alvo de violência e preconceito quando não nos enquadramos dentro dos padrões de heteronormatividade, que determinam até a forma como devemos amar e nos relacionar com outros seres humanos.
No Rio de Janeiro, essa exploração tem se colocado de maneira ainda mais acirrada devido aos recentes empreendimentos econômicos, esportivos e turísticos implantados no estado. Os investimentos em polos tecnológicos de ponta e em grandes indústrias para o beneficiamento de bens primários como o petróleo e o minério geram impactos ambientais irreversíveis, além de consequências sociais desfavoráveis ao povo. Caminha junto a isso a intensa repressão policial praticada através das UPPs (Unidade de Policia Pacificadora) e do choque de ordem, que extermina jovens como nós em nome de um progresso cujo resultado jamais chegará a nossas mãos. Os megaeventos que serão trazidos para a cidade nos próximos anos também geram desde já reflexos sociais. Nossas ruas estão sendo limpas de todo “lixo humano” que não deve ficar as vistas dos turistas, e nossas favelas sendo “pacificadas”às custas do sangue de quem sempre viveu ali. Como se não bastasse, sobra aos moradores o terror e o silêncio imposto através da ocupação das milícias.
Vivenciamos cotidianamente as contradições desse sistema, onde nos é destinada uma parcela muito pequena de todas as riquezas por ele geradas. Somos desde cedo “educados” a nos contentar com migalhas, seja no âmbito da educação, da cultura, da saúde ou do acesso às riquezas do país. Paralelo a isso, o bolo dos ricos fermenta em proporções muito maiores. Compreendemos que esse ciclo será mantido se nós, juventude, permanecermos oprimidos, já que não há sustentação do capitalismo sem a exploração de uma classe em detrimento de outra. Somos então, a principal engrenagem desse sistema, que será derrotado somente se o povo estiver em constante movimento e luta.
Diante dessa conjuntura, o Projeto Popular é nosso horizonte de luta, e alternativa concreta capaz de atender as transformações que necessitamos e sonhamos.O Levante Popular da Juventude/RJ segue disposto a organizar os jovens em seus diversos espaços, agregando suas bandeiras de lutas, ecaminhando ao lado de outras organizações comprometidas com a construção do Projeto Popular para o Brasil. Seguiremos os passos já percorridos por tantos outros lutadores e lutadoras do povo, avaliando criticamente nossa história para, assim, nos organizarmos avançando na construção de um novo Rio de Janeiro, de uma nova sociedade.

JUVENTUDE QUE OUSA LUTAR, CONSTRÓI O PODER POPULAR!

I Acampamento Estadual do Levante Popular da Juventude/RJ
Reserva do Tinguá, Nova Iguaçu – 18 de novembro de 2012.

16922_105292786298565_2072691799_n

Nos dias 15, 16, 17 e 18/11, estará ocorrendo o I Acampamento do Levante Popular da Juventude, na Reserva do Tinguá em Nova Iguaçu.
Convidamos toda esta juventude animada e disposta a debater e construir um Projeto Popular para o Brasil a se fazer presente!
Vem todo mundo!!!

Pré Acampamento…

Publicado: 12 de novembro de 2012 em Acampamento Estadual, Formação, Organização

Hoje, domingo 11/11, tivemos nosso último encontro antes do I Acampamento do Levante Popular da Juventude do Rio de Janeiro, no IFHEP (Instituto de Formação Humana e Educação Popular), em Campo Grande-RJ. O acampamento vai ocorrer nos dias 15, 16, 17 e 18/11, na Reserva do Tinguá, Nova Iguaçu.

Hoje esta juventude animada se reuniu para reforçar através da mística, da animação, do companheirismo e de muito debate e descontração, a construção de um Projeto Popular para o Brasil, que reverta a lógica de exploração, e trilhe o caminho de um país livre e soberano!

Nos veremos novamente dia 15/11, primeiro dia de nosso Acampamento, renovados e inspirados, animados e bem dispostos para organizar esta juventude fluminense!

“Por isso
Segura sua mão na minha
Para fazermos juntos
O que eu não posso fazer sozinha.”

(Lira Alli)Imagem

Levante-se contra a tortura!

Publicado: 7 de novembro de 2012 em Luta, Memória, Verdade e Justiça

Aos companheiros e companheiras que estão sendo processados por lutarem e defenderem a memória de nosso povo. Nós também escrachamos este médico da ditadura.

“Além do ímpeto pela defesa da história real do povo brasileiro, por ser necessário rechaçar as práticas e agentes públicos que ferem nossa dignidade e soberania, manifestamo-nos por entendermos que a efetivação dos direitos à memória, à verdade e à justiça é fundamental para darmos passos largos à realização de mudanças mais profundas no nosso país.

Indignado com nossa postura, o escrachado ofereceu uma queixa-crime contra seis estudantes, a qual tramita no Juizado Especial Criminal de Aracaju, autos do processo n° 201245102302, sendo que nem todos os universitários listados participaram das manifestações.

Pelo direito à memória, à verdade e à justiça! Para que não se esqueça; Para que nunca mais aconteça!

Em solidariedade aos seis estudantes processados por se manifestarem contra a Ditadura Militar!

Levante Popular da Juventude/Rio de Janeiro

Por um Projeto Popular para Educação na UFRRJ

Imagem

Após a aprovação da “Lei de Cotas”, diga-se: uma vitória para o povo brasileiro. Devemos nos colocar no desafio de construir um Projeto Popular para a Educação. Isso leva em conta a luta por uma profunda reforma educacional, que coloque em disputa a forma de acesso e as políticas de permanência, no ensino superior, entre outras.

Foi neste caminho que nos colocamos no desafio de lutar pela adesão integral da lei de cotas, 50%, já em 2013. Juntando a isto a reivindicação por mais investimentos na educação (10% do PIB e triplicação das verbas do PNAES), para que tenhamos uma sólida política de permanência. Disputar os interesses da juventude pobre e preta que entra na Universidade.

Neste sentido conquistamos para a Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, tal reivindicação. A partir de 2013 adotaremos a “Lei de Cotas” de forma integral, já reservando no mínimo 50% das vagas para estudantes de escolas públicas.

Temos que pressionar em todas as Universidades para que o mesmo ocorra, e lutar por mais investimentos públicos na educação. Que a Universidade se pinte de Povo! Que a juventude brasileira seja protagonista na construção de um Projeto Popular para a Educação!

Levante Popular da Juventude